fbpx

A impermeabilização do solo dos grandes centros urbanos pode ser considerada a principal razão para as situações extremas de enchentes que as metrópoles tem passado. Alternativas para a coleta e reservação (temporária ou não) de grandes.volumes de água da chuva têm se mostrado como excelentes estratégias para o tema. Em nível internacional, existem vários exemplos interessantes, que certamente.se adequam às cidades brasileiras. Ações concretas são necessárias, visto a grande população que vem sendo atingida pelos transtornos decorrentes dessa situação nas grandes metrópoles, como São Paulo e Rio de Janeiro, ano a ano, que geram prejuízos e riscos à saúde. Nesse sentido, soluções como a utilização de grandes tubos e estruturas em polietileno (material inserido no conceito da Economia Circular) nos subsolos de estacionamentos de hipermercados e home centers, assim como sua aplicação em grandes condomínios podem gerar a retirada de grandes volumes de água das chuvas das ruas, evitando situações de alagamento das vias públicas, e possibilitando ainda a possível utilização desses volumes nas atividades cotidianas dessas edificações. O objetivo dessa apresentação será mostrar as causas desse problema colocado e alguns tipos de soluções efetivas, incluindo exemplos em nível nacional e internacional.

Objetivos de Aprendizagem

1- entender o que envolve a ocorrência de enchentes;
2- conhecer soluções de coleta, reservação e melhoria da qualidade de água de chuva;
3- conhecer como o polietileno se enquadra no conceito da Economia Circular;
4- conhecer exemplos práticos de soluções para o tema.

Palestrante

Osvaldo Barbosa de Oliveira Junior
Consultor Institucional, Tigre-ADS

Atuação institucional e no campo da Engenharia, com foco em pesquisas e testes de aplicação de soluções sistêmicas e de produtos em campo e assuntos relacionados a Sustentabilidade, Uso Eficiente da Água, Avaliação de Ciclo de Vida, Desempenho de Edificações e Acessibilidade. Responsável pela estruturação e implementação do Programa para Conservação da Água, o Deca | PROÁGUA e pela coordenação das atividades de desenvolvimento da biblioteca BIM (Building Information  Modeling) da Deca. Amplo relacionamento com instituições como Abinee (Associação  Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção), GBCB (Green Building Council Brasil), Rede ACV (Rede Empresarial Brasileira de Avaliação de Ciclo de Vida) e Asfamas (Associação Brasileira dos Fabricantes de Materiais para Saneamento). Participação em diversas Comissões de Estudo da ABNT. Docente em cursos de pós-graduação da área de Engenharia Civil e Saneamento.